Executado o traficante que declarou estar envolvido na compra de votos para Wilson Lima

Diellisom Wendril Alves Pinheiro, de 28 anos de idade, mais conhecido como Didi foi morto a tiros na noite de quinta-feira (7) no município de Codajás. Trata-se da mesma pessoa, que foi preso no mês de outubro de 2018 e gravou na ocasião, um vídeo revelando ter participado da compra de votos para o então candidato a governador Wilson Lima.


Na noite de quinta-feira (7) Didi estava em um bar, localizado no início da estrada Codajás-Anori, na companhia de Gabriel dos Santos, de 24 anos de idade. Ambos foram executados a tiros e até a edição desta matéria, a Polícia não tinha pista dos assassinos. Em Codajás o comentário desta sexta-feira (8) é que ele teria sido executado por “falar demais”.

✅ História dos votos

No dia 19 de outubro, agentes da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai) prenderam, Diellison Wendel Alves Pinheiro, “o Didi”, acusado de comandar o tráfico de drogas em Codajás, com R$ 17 mil e duas armas.
Didi disse aos policiais da SEAI, que R$ 12 mil seriam utilizado para comprar votos em favor do candidato ao governo do Amazonas, Wilson Lima (PSC), dois dias antes da eleição.
Segundo a polícia, “Didi”, – que estava sendo investigado há quatro meses pelos crimes de tráfico de drogas e de pirataria, – ao ser questionado sobre a origem do dinheiro, disse que um homem identificado apenas como “Paulo”, teria oferecido R$ 12 mil para a compra dos votos. Ele declarou na ocasião que cada eleitor receberia R$ 50. “Era para comprar votos pro Wilson Lima porque eu devo favores a ele”, disse, em vídeo gravado pela polícia.

🎞 Confira o vídeo


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *