fbpx

Estudantes da Universidade Federal lançam manifesto contra decisões da reitoria

Entidade representativa dos acadêmicos cita problemas enfrentados pelos alunos

Presidente aponta “falta de diálogo” com os universitários

A União Estadual dos Estudantes do Amazonas (UEE-AM) e o Movimento Estudantil da Universidade Federal do Amazonas divulgaram nesta sexta-feira (28) uma nota de repúdio em que questionam decisões tomadas pela Reitoria da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) em geral, e que, segundo eles, prejudicam os acadêmicos.

Assinada pela presidente da UEE-AM, Rosane Alencar da Silva, a nota aponta que o retorno das aulas presenciais é um risco aos estudantes, uma vez que, por falta de equipamentos, a universidade não teria “a estrutura necessária para garantir a segurança sanitária dos estudantes, técnicos,terceirizados e docentes”.

Problemas pontuais e mobilização

Os estudantes reclamam também da falta de ônibus no Campus do Japiim, da suspensão das aulas práticas em laboratórios de Medicina e Farmácia, da manutenção e serviços gerais nas salas de aula e aparelhos de ar condicionado falta de salas para todos os cursos entre outros problemas pontuais dos discentes, como o horário de circulação dos ônibus de integração, auxílio-internet insuficiente, restaurante fechado, etc..

Segundo a nota da UEE-AM, a decisão da reitora em exercício da Ufam, professora Terezinha Fraxe, de fundir duas pró-reitorias e extinguir uma terceira não foi debatida entre a comunidade universitária, nem as demissões de servidores. “O Regimento da Universidade prevê que toda mudança administrativa, extinção, fusão requer discussão e aprovação pelos respectivos Conselhos Superiores”, argumenta a entidade representativa dos acadêmicos, convocando os universitários a se unirem para organizar movimento reivindicatório de melhorias.

Veja aqui a íntegra da nota da União dos Estudantes:

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.