Escolas da zona rural vão receber a peça “O cavaleiro da armadura de sol”

Projeto prevê três apresentações no Tarumãzinho. São Sebastião e Ismail Aziz

Primeira encenação será nesta quarta-feira, 16

O “Projeto Circuito Cultural de Teatro na Zona Rural”, contemplado pelo Prêmio Thiago de Mello – 2022, da Prefeitura de Manaus, entra na reta final com as apresentações do espetáculo “O cavaleiro da armadura de sol”. As encenações serão realizadas de 16 a 18 de agosto.

Apresentações

A primeira apresentação do “O cavaleiro da armadura de sol” será dia 16 de agosto, na Escola Municipal Abílio Alencar, na comunidade do KM 35 – AM 010, às 15h.
No dia 17 de agosto será a vez da Escola Municipal São Sebastião 2, no Tarumãzinho Comunidade São Sebastião, rio Negro, às 9h. E no dia 18 de agosto, às 18h, o Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Ismail Aziz, na Comunidade Ismail Aziz, na BR-174.

Vivência

As três encenações serão precedidas pela “vivência” com os participantes do espetáculo, onde a população poderá acompanhar toda a preparação dos artistas antes de entrarem em cena. Além disso, após o término de cada apresentação, também será realizado um “debate” sobre a obra.

Contrapartida

Esta é a penúltima atividade do projeto idealizado e executado pela artista Ana Cláudia Motta, que ofertará ainda, em contrapartida ao edital, uma oficina cultural no Centro Municipal de Arte Educação Aníbal Beça, na zona leste de Manaus, de 23 a 25 de agosto. As apresentações do espetáculo ocorrerão nas escolas onde foram realizadas as oficinas da primeira etapa do projeto e serão abertas para toda comunidade. “Antes da nossa contrapartida na zona leste, nós vamos ter como fechamento do projeto as apresentações de ‘O cavaleiro da armadura de sol’ que é uma comédia de categoria livre, que tem uma larga experiência com o público de muitas apresentações. Este espetáculo estreou em 2011, já temos uma trajetória de sucesso, já foi premiado em festivais, e nos trouxe frutos muitos bons”, compartilhou Ana Cláudia.

Sinopse

Três saltimbancos/ contadores de histórias se encontram coincidentemente no mesmo lugar e como é de seu ofício começam a contar uma história. A história escolhida é de um cavaleiro que descobre, um belo dia, estar preso na sua própria armadura. Não conseguindo se libertar pelos meios tradicionais, é obrigado a partir em uma jornada. O que não sabia o cavaleiro era que essa jornada, aparentemente, acontecida em lugares ermos e diferentes, seria, ao contrário, dentro dele mesmo, o que se configurou em um grande aprendizado e a mais difícil de todas as suas aventuras.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *