Empresário recorre a banco para poder saldar compromissos com funcionários na pandemia

A crise provocada pela pandemia de Covid-19 no setor de bares, restaurantes e entretenimento levou o empresário William Alemão

A crise provocada pela pandemia de Covid-19 no setor de bares, restaurantes e entretenimento levou o empresário William Alemão a contrair empréstimo junto a instituição financeira, em nome da Porão do Alemão Foods, para saldar compromissos com ex-funcionários. Proprietário da empresa, ele afirma que não teve outra alternativa senão recorrer ao banco, para cobrir uma lacuna deixada pela falta de eventos na cidade, e para não ter de fechar o estabelecimento no período, como fizeram outros empreendedores do ramo.

Dados da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), apresentados no mês passado, na Câmara Municipal de Manaus (CMM), apontam que mais de um milhão de empregos foram perdidos com a pandemia e que, só na capital amazonense, mais de seis mil estabelecimentos encerraram as atividades.

“Essa é uma realidade não só minha, mas de muitos colegas empresários que vivem o mesmo dilema. Como não havia receita e as despesas continuaram, não tive outra saída senão ter que dispensar 116 colaboradores. Eu não podia deixar essas famílias desamparadas, por isso, tive de fazer o empréstimo”, justifica William Alemão, que já está buscando resolver a situação junto ao banco, para garantir a continuidade dos negócios e, consequentemente, a geração de emprego.

As regras de circulação de pessoas, flexibilização de segmentos de atividades econômicas e medidas de prevenção à Covid-19, foram temas de reflexão, puxadas diversas vezes por Alemão, enquanto vereador. Ele lembra que tem alertado a sociedade sobre as consequências das restrições impostas aos comerciantes, e que até sugeriu, junto aos poderes executivo municipal e estadual, medidas que viessem a dirimir os prejuízos causados pela falta de movimentação na economia local, principalmente no ano de 2020 e início de 2021.

Ao enfatizar também os vários problemas sociais, de violência e, principalmente, de desemprego, por conta das referidas restrições, o empresário afirma que tem insistido com essa flexibilização, sem grandes riscos – mas sem relevar os cuidados necessários preconizados pelas autoridades sanitárias –, com base nas campanhas de vacinação e no grande número de imunizados entre os manauaras.

Medidas, nesse sentido, possibilitaram, inclusive, a reabertura de locais como a Praça do Caranguejo, no Parque Dez, zona Centro-Sul, após Alemão se reunir com o governador Wilson Lima, acompanhado de outros oito parlamentares.

William Alemão apresentou um Projeto de Lei (PL), para isentar de pagamento do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN), os profissionais e empresas que ficaram impedidos de prestar serviços durante a situação de emergência. A isenção abrange os anos 2020 e 2021, por igual período em que os estabelecimentos ficaram fechados.

Conforme o vereador, não se pode exigir o pagamento do ISSQN para situações em que não há o pleno exercício das atividades comerciais, industriais ou de serviços.

Parcerias

Como presidente da 10ª Comissão de Turismo, Indústria, Comércio, Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda (COMTICDETRE/CMM), William Alemão conta ter conversado com entidades, entre elas a própria Abrasel, com o objetivo de alavancar os empregos e fazer rodar, de novo, a máquina da economia, por meio de parcerias para a produção de ideias e projetos. Entre os temas discutidos estão aqueles relacionados à revisão de impostos e incentivos ao turismo, comércio e serviço.

Além de pedir pelo funcionamento do comércio, o parlamentar tem pedido que seja liberada a presença gradual de pessoas em grandes eventos.

“Já podemos pensar na possibilidade de abrir esses eventos para 200, 300 pessoas”, insiste.
Empreendedorismo

Na semana passada, Alemão adiantou que apresentará, no reinício das atividades de plenário da CMM (2 de agosto), o Projeto de Lei 406/2021, que institui o “Programa Bairro Empreendedor” na capital amazonense. A iniciativa visa capacitar e qualificar profissionais autônomos, grupos produtivos, microempreendedores formais e informais, para fomentar atividades econômicas em geral, além de proporcionar meios de acesso ao microcrédito assistido e facilitar que os moradores das comunidades atendidas, recebam os diversos serviços de inclusão social que serão prestados.

A proposta do novo programa, conforme William Alemão, surgiu justamente durante as visitas que ele fez a mais de 50 bairros da zona urbana, nos últimos seis meses; quando constatou a grande quantidade de comerciantes e vendedores informais sem perspectiva de crescimento, e a iminente necessidade de assistir essas pessoas, nas referidas localidades.

Resiliente

Apesar das adversidades, William Alemão conta que tem procurado se manter tranquilo diante da situação. No último mês de abril, durante live apresentada pelo Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), ele foi inserido no perfil de uma pessoa resiliente pela psicóloga Déborah Pacheco, ou seja, um homem perseverante, que insiste, não desiste e tenta se reinventar para continuar seguindo em frente, como empresário e, agora, como homem público.

“Nós passamos por várias crises, principalmente em setores como este do entretenimento, mas nem por isso deixamos de fazer o nosso trabalho e atender, da melhor forma possível, aqueles que estão ao nosso redor. Não vamos parar. Bora pra cima! Sempre!”, afirma William Alemão.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *