fbpx

Eleitor mandou recado que quer distância dos discursos autoritários

Senador Eduardo Braga consegue manter pensão que recebe como ex-governador

Números do próprio Governo Bolsonaro revelam desmatamento recorde na Amazônia

Amazonas terá oito novos aeroportos

Suframa abre espaço para empreendedores

Pra bom entendedor, diz o adágio popular que pingo é letra, portanto, o que se imagina é que os eleitos nas eleições municipais de 2020, entendam o recado do eleitor. Ficou claro que o eleitor não está a fim de discursos extremistas e autoritários, seja do ponto de vista ideológico ou mesmo de estilo pessoal. Quem não entendeu, vai ter problemas!

Senador mantém aposentadoria

O senador Eduardo Braga (MDB) conseguiu uma vitória contra o Ministério Público Estadual, ao ter reconhecido pelo Tribunal de Justiça do Amazonas, o direito de manter a pensão de R$ 34 mil mensais que recebe como ex-governador. O Ministério Público entende que o benefício é inconstitucional, pelo qual ex-governadores recebam a pensão até o final de vida, mas o TJA entende de outra maneira.

CAS avalia 14 projetos com mil empregos

O Conselho de Administração da Suframa (CAS) se reúne pela última vez em 2020, nesta quinta-feira (3), para avaliar uma pauta com 14 projetos industriais e de serviços, sendo quatro de implantação e 10 de ampliação, atualização ou diversificação, que somam investimentos totais de R$ 2 bilhões. A previsão é que os projetos, juntos, vão gerar mais 1 mil postos de trabalho nos próximos três anos de implantação.

Empreendedorismo na Amazônia

Evento paralelo à reunião do CAS, será aberto nesta quinta-feira, o 1º Encontro de Empreendedorismo e Inovação da Amazônia. Mais de 40 institutos de PD&I e startups irão apresentar projetos durante o encontro, que ocorre no Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA). A exposição será aberta ao público, a partir das 14h.

Aeroportos no Amazonas

O conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) aprovou a realização de estudos para realização de parcerias público-privadas (PPPs) para operação de oito aeroportos regionais no Estado do Amazonas, com estimativa de investimentos de R$ 380 milhões. Os terminais selecionados são de Parintins, Carauari, Coari, Eirunepé, São Gabriel da Cachoeira, Barcelos, Lábrea e Maués.

Bioeconomia reforçada

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) anunciou uma nova parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para promover a estruturação, o fortalecimento e o aprimoramento das cadeias produtivas do açaí, cupuaçu, castanha-do-Brasil, piaçava, mandioca, mel de abelhas nativas, baunilhas brasileiras e sistemas agroflorestais biodiversos nos biomas Amazônia e Cerrado. Mais de R$ 2 milhões foram assegurados pelo Mapa para a execução das atividades que integram o programa federal Bioeconomia Brasil.

Primeira vacina

A Agência Reguladora de Saúde e Produtos Médicos do Reino Unido (MHRA, a sigla em inglês) concedeu licença formal à vacina contra a covid-19 do grupo Pfizer/BioNTech. Com isso, o Reino Unido torna-se o primeiro país a começar a vacinar a população contra a doença, o que ocorrerá na próxima semana, informou o Ministério da Saúde britânico. O Reino Unido fechou o acordo com a farmacêutica Pfizer para a compra de 40 milhões de doses.

Vacina brasileira

No Brasil, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou que vai precisar de R$ 2 bilhões em recursos adicionais para cumprir o cronograma da vacina contra o coronavírus desenvolvida em conjunto com a Universidade de Oxford, na Inglaterra, e a farmacêutica AstraZeneca. A Câmara dos Deputados aprovou a Medida Provisória 994/20, que abre crédito extraordinário de R$ 1,995 bilhão para viabilizar a compra de tecnologia e a produção da vacina. A MP será enviada ao Senado. A previsão é que as primeiras 30 milhões de doses sejam entregues em fevereiro de 2021 e mais 70 milhões de março a julho.

Desmatamento recorde

Dados divulgados pelo governo federal indicam que o desmatamento na floresta amazônica neste ano de 2020 foi o maior dos últimos 12 anos. As informações são do Prodes, o sistema de cobertura de satélite que dá a estimativa oficial de desmatamento do país. No período entre agosto de 2019 e julho de 2020, a destruição da maior floresta tropical do mundo aumentou 9,5% em relação ao ano anterior, para 11.088 quilômetros quadrados, de acordo com dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), que ainda são considerados prévios. A análise continua sendo feita e, de acordo com Cláudio Almeida, coordenador do programa de monitoramento do Inpe, o número final deve ser apresentado até fevereiro, mas a variação não deve ser maior do que 5%.

Pará lidera

De acordo com os dados do Prodes, os Estados do Pará, Mato Grosso, Amazonas e Rondônia foram os responsáveis por 87,8% do desmatamento captado pelo Prodes na região da Amazônia Legal. O Pará, sozinho, desmatou 5.192 km² de floresta, o equivalente a 46,8% de toda o território desmatado.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.