Dona do Supermercado Vitória escapa da acusação

Tribunal de Justiça diz que não há provas contra Jordana Freire

Ela e o marido eram suspeitos da morte do sargento Lucas Guimarães

O Tribunal de Justiça do Amazonas determinou que a empresária e sócia dos Supermercados Vitória, Jordana Azevedo Freire, não será julgada pelo assassinato do sargento do Exército, Lucas Guimarães, que era seu amante.

A informação é do advogado de Jordana, Athur Cordeiro, revelada ao site G1.

Sem provas

Segundo o advogado, a Justiça considerou que não ficou comprovada a participação de Jordana no crime, em nenhuma etapa.

Entretanto, outras cinco pessoas vão responder pela morte de Lucas: o marido de Jordana, Joabson Agostinho Gomes (que está em liberdade); Romário Vinente Bentes, gerente do Supermercado Vitória; Silas Ferreira da Silva, suspeito de matar o sargento a tiros;
Kamylla Tavares da Silva, que teria ajudado Romário a entrar em contato com Silas;
Kayandra Pereira de Castro, que encontra-se foragida e também teria ajudado no contato com Sila e Kayanne Castro Pinheiro, que encontra-se foragida e também.

Relembre o caso

Em 1º de setembro de 2021, o sargento Lucas Guimarães foi assassinado dentro da cafeteria de sua esposa, ao lado da Clínica Santa Júlia, no bairro Praça 14. Nas investigações, a polícia chegou ao atirador Silas Ferreira da Silva e desvendou o motivo.

Joabson Agostinho havia descoberto que sua esposa Jordana Freire tinha um caso amoroso com Lucas e mandou matar o adversário.

O restante do processo corre em segredo de Justiça.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *