Deputado sugere CPI para avaliar conflito em Carauari

Dan Câmara definiu com “muito grave” a troca de acusações

Parlamentar diz que delegacias do interior são precárias

Alessandra Luppo
Da redação do ÚNICO

O deputado estadual Dan Câmara analisa a possibilidade de protocolizar um pedido de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para esclarecer o que acontece na delegacia de Carauari (a 787 km de Manaus) , que nesta semana foi palco de um embate entre o juiz do município e o delegado titular da unidade, resultado na prisão do policial.

“Queremos trazer à tona as dificuldades enfrentadas pelos policiais civis e militares, que arriscam as vidas em condições precaríssimas e sem garantias. A Comissão Parlamentar de Inquérito também mostrará a insegurança que os cidadãos do interior estão submetidos”, argumentou o parlamentar.

Comissão de Segurança

Como presidente da Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa do Amazonas, o deputado Dan Câmara revela que fez várias inspeções em delegacias do interior do Estado e que “a situação da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Carauari não é exceção no Amazonas” e que as delegacias estão “em condições precárias”.

Há casos, de acordo com Dan Câmara, que o cidadão é recebido por um detento, por falta de policiais civis e militares para o funcionamento do sistema de segurança pública.

“São instalações insalubres, incapazes de atender aos cidadãos e de abrigar os policiais; tropas reduzidas ao extremo, cidades em que não há condição humana de funcionamento do sistema de segurança e de manutenção da ordem pública”, ressaltou.

Relatório detalhado

O deputado informou que inspecionou as estruturas da segurança pública dos 61 municípios do interior e que enviou ao Executivo Estadual, em novembro de 2023, um relatório de 60 páginas, com diagnóstico detalhado da situação.

O que aconteceu em Carauari

Na quarta-feira passada (8), o juiz do município, Jânio Takeda, foi fazer uma inspeção na delegacia de Carauari. O delegado titular, Régis Celeghini, gravou a inspeção e avisou o juiz que fez uma denúncia contra ele ao Ministério Público do Amazonas.

Os dois se desentenderam, trocaram acusações e o magistrado deu voz de prisão ao delegado por desacato. Celeghini está preso em Manaus.

Para Dan Câmara, o caso de Carauari foi a gota d’água. “Um preso ter um celular dado pelo único juiz da cidade, que lhe pede a prestação de serviços domésticos, conforme foi denunciado, precisa ser encarado, senão afundaremos”, afirmou ele.
O Tribunal de Justiça do Amazonas e a Secretaria de Segurança Pública informaram que estão investigando a situação.

Com informações da assessoria


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *