Deputado George Lins considera “avanço” a liberação de exploração de potássio em Autazes

Parlamentar destaca “nova matriz econômica”

Projeto prevê extração de 2,2 milhões de toneladas por ano

O deputado estadual Dr. George Lins (União Brasil) comentou, durante a sessão plenária desta quarta-feira (18), a decisão do Tribunal Regional Federal que destravou uma ação jurídica para a exploração da mina de potássio no município de Autazes, apontando que se trata de “mais um avanço” em direção à exploração do minério, que é utilizado para fabricar fertilizantes para a agricultura nacional.
“Com esta decisão, damos mais um avanço em direção à exploração de potássio em Autazes e à uma nova matriz econômica para o nosso estado”, comemorou.

Jazida

Em Autazes, a empresa Potássio do Brasil pretende extrair 2,2 milhões de toneladas do minério por ano quando o empreendimento estiver em plena operação no prazo de quatro anos.
A produção do potássio suprirá 20% da demanda nacional pelo minério, utilizado em adubos para a fertilização das lavouras. Atualmente, cerca de 95% das mais de 12,6 milhões de toneladas utilizadas na agricultura brasileira anualmente são importadas.

Investimentos

A Potássio do Brasil investiu US$ 230 milhões no projeto desde 2009. A estimativa é que sejam aplicados US$ 2,5 bilhões para a exploração, que deverá ocorrer por 23 anos. Os negócios podem render R$ 25 bilhões no período e gerar 15 mil empregos, entre diretos e indiretos.
A exploração do potássio de Autazes está vinculada aos propósitos estratégicos do Plano Nacional de Fertilizantes (PNF) lançado em 2022 e cujo objetivo é reduzir as compras externas de fertilizantes para 62% até 2030, com o país apostando na força da exploração da jazida mineral de Autazes.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *