David lembra ações como governador e diz que está pronto para administrar Manaus

Ao assumir interinamente o Governo do Estado, David Almeida conta que recebeu a administração do Amazonas com um déficit de R$ 654 milhões nas suas finanças, no auge da crise econômica que abalou o país, e que apostou em investimentos em obras públicas, com a finalidade de fazer o dinheiro voltar a circular na economia amazonense.

Aos 51 anos, com três mandatos de deputado estadual, David Almeida foi presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), no biênio 2017/2018, e governador do Amazonas, no período de 9 de maio a outubro de 2018

Ao assumir interinamente o Governo do Estado, David Almeida conta que recebeu a administração do Amazonas com um déficit de R$ 654 milhões nas suas finanças, no auge da crise econômica que abalou o país, e que apostou em investimentos em obras públicas, com a finalidade de fazer o dinheiro voltar a circular na economia amazonense.

Ele cita que o resultado da aposta em investimentos como, por exemplo, construção e recuperação de estradas e vicinais; construção e ampliação de escolas; repactuação de contratos e pagamento de fornecedores; corte de gastos; pagamento de promoção aos policiais, adiantamento do 13º para os servidores, e o pagamento do abono do Fundeb aos professores, colheu resultados ao sair do governo, deixou um saldo de R$ 456 milhões em caixa para o seu sucessor.

David, relata que o Estado bateu uma sequência de recordes de arrecadação tributária, como a que ocorreu, em setembro de 2017, quando a receita chegou a R$ 843 milhões, superando em 14% a arrecadação de agosto, que foi de R$ 722 milhões. Em setembro de 2016, o Estado registrou um déficit de R$ 839 milhões.

“Graças ao empenho da nossa equipe e das boas ações colocadas em prática durante a nossa gestão, a arrecadação do Amazonas encerrou o exercício de 2017 contabilizando um crescimento de R$ 827 milhões”, lembra David Almeida. Ele ressaltou que os municípios amazonenses também foram beneficiados, porque, naquele ano, receberam R$ 6,1 bilhões, entre recursos estaduais e federais.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *