Criminosos extorquiam fãs de conteúdo sexual em aplicativos

Polícia Federal investiga quadrilhas de crimes cibernéticos

Caso aconteceu em Brasília e visava funcionários públicos

Brasília – O Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJ) e Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagraram nesta quinta-feira (28) uma operação para combater crimes de extorsão praticados por organizações criminosas na internet contra pessoas que acessavam conteúdo sexual em grupos de aplicativos de troca de mensagens.

Criminosos criavam os grupos

De acordo com a polícia, os grupos de aplicativos foram criados pelos próprios criminosos “para atrair as vítimas, principalmente moradoras do Distrito Federal, que atuavam em importantes cargos públicos”.

Acesso indevido

Ao identificarem que as vítimas tinham esse perfil, os criminosos aprofundavam as pesquisas por meio de acesso indevido em bases de informações sigilosas pertencentes à segurança pública.

Ameaças e extorsão

A organização criminosa fazia essas extorsões usando “informações pessoais” e, com essas informações, faziam as ameaças às vítimas e a seus familiares, “exigindo sucessivas transferências de Pix para divulgarem os dados”.

Mandados e prisões

“Durante as investigações, foi constatado que os criminosos operavam a partir dos municípios de Feira de Santana e Salvador (BA), Pirituba (SP) e São Paulo (SP).

Eles também possuem relação com facções criminosas nesses estados”, informou o ministério. Cinco mandados de busca e apreensão e cinco de prisões temporárias estão sendo cumpridos


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *