CPI da Braskem ouve as 3 primeiras testemunhas

Especialistas em geologia vão fornecer dados aos senadores

A Comissão é presidida pelo senador Omar Aziz

Fábio Rodrigues
Especial para o ÚNICO

Brasília (ÚNICO) – O senador Omar Aziz (PSD-AM) comanda a reunião da CPI da Braskem desta terça-feira (5) para ouvir os três primeiros depoentes: o engenheiro civil Abel Galindo Marques, professor aposentado da Universidade Federal de Alagoas; o ativista José Geraldo Marques, doutor em ecologia e a engenheira Natallya de Almeida Levino, professora da Universidade Federal de Alagoas.

Especialistas

Abel Galindo foi um dos primeiros profissionais a alertar sobre possibilidade de desabamento do teto de uma das minas escavadas pela Braskem para lavra de sal-gema em Maceió.

José Geraldo Marques é uma das vítimas da evacuação dos bairros atingidos pela mineração da Braskem. Ele teria sofrido pressões e ameaças por se opor à instalação da empresa Salgema, ligada à Braskem, e enfrentado muitas reações por criticar a decisão do governo da época pela implantação da indústria.

Natallya de Almeida Levino é coordenadora de uma pesquisa sobre as dimensões econômica, social e ambiental da subsidência (movimento, relativamente lento, de afundamento de terrenos) que atinge cinco bairros de Maceió.

Diretor da ANM e geólogo


Na quarta-feira (6), às 9h, a CPI volta a se reunir para ouvir dois depoentes. Um deles é o diretor-geral da Agência Nacional de Mineração (ANM), Mauro Henrique Moreira Sousa. O outro depoente é o geólogo Thales Sampaio, aposentado da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM).

Com informações da Agência Senado


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *