fbpx

Coronavírus atinge a mais tradicional Zona de prostituição em Manaus

A rua Itamaracá no Centro de Manaus é um dos locais mais antigos da prostituição em Manaus.

A rua Itamaracá no Centro de Manaus é um dos locais mais antigos da prostituição em Manaus. Até os dias atuais, prostitutas fazem ponto na área. Algumas usam o cruzamento da rua com a av. Sete Setembro para esperar a clientela na esquina, enquanto outras aproveitam os bancos da praça Dom Pedro II, em frente ao antigo prédio da sede da Prefeitura de Manaus, mas nos dias de coronavírus, o local está praticamente vazio e poucas mulheres se aventuram a permanecer na área.


O Portal Único conversou com a dona de uma casa que faz às vezes de motel na área. Dona Helena (nome trocado a pedido) conta que o movimento caiu muito nos últimos dias. Ela dispõe de 6 quartos com banheiro e ventilador. Cobra dez reais à hora mas essa semana conta que não conseguiu faturar nem 100 reais. “ Tá difícil porque o cliente dessa área vem muito da área do porto e como tá tudo parado só um ou outro é que aparece e as meninas mesmo, tão com medo”,explica.


Marlene (nome trocado a pedido) também conversou com o Portal Único. Ela diz ter 30 e poucos anos, embora o cabelo tingido de ruivo e uma pintura exagerada deixa transparecer que deve ter ultrapassado os 40. Ela conta que mora no Centro, o que segundo observa, é uma vantagem por não pagar transporte. Mesmo reconhecendo os riscos, diz que continua indo todas às noites pra praça. “Eu fazia até quatro programa por noite mas agora agradeço quando consigo um”, conta revelando que cobra R$ 20 por sexo oral e R$ 40 no tradicional. Garante que mesmo com alguns clientes reclamando, só faz sexo usando preservativo. “Tenho um filho pra criar”, revela.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.