Começa a Conferência Estadual de Ciência e Tecnologia

Vice-governador Tadeu de Souza palestrou na abertura

Assembleia busca mapear as necessidades do setor científico do Estado

O Governo do Amazonas está liderando os debates e o mapeamento de necessidades dos setores científico, tecnológico e de inovação, nos 62 municípios, para aperfeiçoar suas políticas estaduais para os próximos dez anos e, em paralelo, encaminhar propostas à elaboração da Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ENCTI) a ser executada pelo Governo Federal até o ano de 2030.

Abertura

Os trabalhos foram iniciados, nesta terça-feira (26), pelo vice-governador Tadeu de Souza, que abriu a 5ª Conferência Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I). O evento, realizado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedecti), ocorre na Escola Superior de Tecnologia da Universidade do Estado do Amazonas (EST/UEA) até quarta-feira (27/03).

Ao discursar para uma plateia composta por reitores e membros de universidades públicas e privadas, além de representantes de entidades de ciência e tecnologia, Tadeu de Souza ressaltou a importância estratégica do Amazonas no cenário tecnológico nacional. Destacou os esforços do Governo Wilson Lima no impulso a matrizes econômicas alternativas à Zona Franca de Manaus (ZFM).

“A gente tem um ambiente muito diferente do restante do país, porque ao mesmo tempo que temos um estado muito industrializado, há a necessidade de desenvolver outras matrizes econômicas vinculadas aos ativos da floresta. Portanto, mais do que nunca, esse ambiente de ciência, inovação, desenvolvimento e modulação de uso de recursos de P&D é importantíssimo para complementar a indústria regional”, declarou.

Etapas

A conferência tem como objetivo identificar as necessidades do Amazonas a partir de quatro eixos temáticos. Ao final do evento, será gerado um documento contendo estratégias de fortalecimento do ecossistema estadual de CT&I para os próximos 10 anos, além de propostas para a ENCTI 2024-2030, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCT).


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *