Comando Vermelho operava no Amazonas enviando drogas para o RJ

Rota do tráfico movimentou mais de R$ 30 milhões em dois anos

Polícia do Rio de Janeiro aponta números da operação

Fábio Rodrigues
Especial para o ÚNICO

Brasília (ÚNICO) – A Secretaria de Polícia Civil do Rio de Janeiro fez um balanço da Operação Rota do Rio, apontando que a organização criminosa Comando Vermelho atuava em parceria com uma das facções do estado do Amazonas (CVAM) e que, no período de dois anos os criminosos movimentaram R$ 30 milhões em recursos ilícitos.

A Operação Rota do Rio teve 99 mandados de busca e apreensão domiciliar expedidos pela Justiça, nos Estados do Rio de Janeiro, Amazonas, Minas Gerais e Pará, contra pessoas físicas e jurídicas identificadas como integrantes ou associados a um dos braços operacionais e financeiros do Comando Vermelho.

Droga vai, dinheiro vem

As investigações apontaram que a rota utilizada para o escoamento da droga tinha origem no Amazonas e ia até o Rio de Janeiro onde, em sentido contrário, era enviado dinheiro para o seu fornecedor amazonense, evidenciando o grande esquema de fornecimento e pagamento da droga vendida tanto no morro quanto no asfalto.

Ex-prefeito investigado

O ex-prefeito de Anamã, Raimundo Pinheiro da Silva, o Raimundo Chicó, é um dos alvos da Operação Rota do Rio. Ele é suspeito de integrar a quadrilha envolvida com a facção criminosa Comando Vermelho e de usar seu próprio frigorífico para lavagem de dinheiro do tráfico.

Com informações da Agência Brasil


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *