Centro de Bionegócios da Amazônia e UEA buscam parceiros para estudo clínico

Objetivo é analisar impactos da Kombucha na saúde intestinal

Interessados deverão entrar em contato com 92 99393-7546

O Centro de Bionegócios da Amazônia (CBA) em parceria com a Escola de Saúde da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) está selecionando pessoas interessadas em participar de um estudo clínico, o qual tem o objetivo de analisar os impactos da Kombucha (bebida fermentada) na saúde intestinal.

A iniciativa faz parte do projeto intitulado ‘Estudo clínico do Kombucha: caracterização da bebida fermentada e sua eficácia sobre a microbiota intestinal humana’, desenvolvido pelos pesquisadores Isolda Prado e Edson Pablo da Silva.

O estudo conta também com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas – Fapeam, por meio do Programa de Apoio à Ciência, Tecnologia e Inovação em Áreas Prioritárias.

Pesquisa

De acordo com o pesquisador do CBA, Edson Pablo da Silva, o projeto visa avaliar a eficácia da suplementação regular de 150 ml de Kombucha, durante um período de 30 dias seguidos, e sua relação com a diversidade bacteriana fecal e influência sobre a obstipação intestinal, também conhecida como constipação intestinal ou prisão de ventre (condição caracterizada por dificuldade persistente para evacuar as fezes).

Apesar da popularidade da Kombucha, Edson Pablo esclarece que há muitas citações em torno dos benefícios da bebida, mas nada cientificamente comprovado. “Nosso trabalho é um dos poucos que fará essa comprovação dos benefícios da Kombucha na saúde humana e um dos primeiros dessa magnitude feito pelo CBA e pela UEA”, afirmou ele.

Para participar dos estudos que serão realizados entre março e abril, os candidatos devem preencher os seguintes requisitos:

• Residir em Manaus e ter idade entre 18 e 70 anos;
• Ambos os sexos, mulheres não grávidas;
• Possuir histórico prévio de obstipação intestinal (prisão de ventre), definida como:

a) Queixas de eliminação de fezes endurecidas;
b) Frequência de defecação menor do que três vezes por semana,
e/ou
c) Sensação de esvaziamento incompleto do reto.

• Não estar usando medicamentos para o tratamento da obstipação intestinal (laxativos).
• Sem uso de probióticos, prebióticos ou simbióticos no momento da triagem ou 30 dias antes.
• Sem uso de antibióticos, no momento da triagem ou 30 dias antes.
• Não apresentar quadro de doença inflamatória intestinal, não estar gravemente enfermo, ou insuficiências orgânicas (insuficiência renal, insuficiência cardíaca ou doença pulmonar crônica).

Os candidatos interessados deverão entrar em contato com a pesquisadora Bruna Nayara por meio do Whatsapp: 92 99393-7546.

As pessoas selecionadas devem assinar um termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE), responder a um questionário padronizado sobre hábitos alimentares, uso de medicamentos, realizar exame físico e laboratorial.
Cada participante receberá 150 ml, envasados em frascos individuais da bebida fermentada, com orientação para ingestão pela manhã (antes do almoço), durante 30 dias.
O resultado final do estudo deverá ser concluído em um prazo máximo de 70 dias.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *