CBA comanda debates sobre bioeconomia na Bio&TIC 2023

Temas como negócios sustentáveis, logística e cadeias produtivas estão sob discussão

Evento acontece no Studio 5 e termina na quinta-feira (30)

Os negócios incentivados por meio das práticas de bioeconomia foram o tema central das palestras mediadas pelo Centro de Bionegócios da Amazônia CBA, no primeiro dia da Expoamazônia Bio&Tic2023, que começou ontem (28) e segue até quinta-feira, dia 30, no Stúdio 5 Centro de Convenções, na zona Sul de Manaus.


“Queremos que o Brasil e o mundo conheçam a força da bioeconomia amazônica e para nós do CBA é uma grande satisfação conduzir as discussões em torno desse tema tão rico e próspero em um evento dessa magnitude”, afirmou o diretor de administração e finanças do CBA, Carlos Henrique Souza.

Debates

A primeira roda de conversa reuniu mais de cem participantes entre estudantes, pesquisadores, professores, representantes de associações, cooperativas e de setores da iniciativa privada, sobre o papel das instituições de pesquisa para o desenvolvimento da bioeconomia da Amazônia.


A biodiversidade amazônica em novos negócios sustentáveis foi o segundo tema discutido pelos participantes. Andreia Waichman, sócia fundadora da Darvore Cosméticos, o executivo da Tutti Plast, Dahslon Bisker de Abreu, a CEO da Amazônia Smart Food Amazônia, Priscila Almeida e Danniel Pinheiro, CEO da Biozer da Amazônia.


A terceira discussão da tarde se deu em torno dos desafios e tecnologias para cadeias produtivas da bioeconomia que contou com a participação de Fabrício Tinto do Instituto Piagaçu, Macaulay Abreu, idealizador do Navegam e Onesino Maurílio, empreendedor na Agroindústria e Comércio de Produtos Agrícolas e Silvestres da Amazônia Ltda (Apoena).


A última roda de conversas da noite abordou o fomento à bioeconomia para o desenvolvimento sustentável da Amazônia e contou com a participação do representante da Suframa, Leopoldo Júnior e do CEO da Axcell Aceleradora e um dos sócios da Warabu Chocolates, Matheus Farias.

Parcerias reforçadas

Durante a primeira palestra, o diretor de Operações do CBA, Caio Perecin, apresentou a nova estrutura operacional do Centro e ratificou o compromisso do CBA de trabalhar em conjunto com Institutos de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICT’s), associações, cooperativas, governos e indústrias em prol de uma nova matriz econômica sustentável para a região, voltando o olhar para o fortalecimento das cadeias produtivas, um dos principais gargalos para a projeção da economia verde no País.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *