Cantora gospel reacende denúncias de exploração sexual infantil na Amazônia

Ela “cantou” sobre Marajó, em uma de suas apresentações e chocou

Luciano Huck fez documentário em Manaus sobre o caso

Alessandra Luppo
Da redação do ÚNICO

A cantora evangélica Aymeê Rocha se apresentou em um show de calouros gospel com uma música autoral “Evangelho de Fariseus”, na qual denuncia a hipocrisia das religiões e, de quebra, a violação de direitos humanos e exploração sexual de crianças em Marajó (não diz se é a ilha toda, só a cidade ou outra região).

O vídeo invadiu as redes sociais e explodiu nos trends de assuntos mais comentados no dia de ontem. A maioria dos comentários pode ser resumida em:“isso sempre aconteceu, estão denunciando agora?” ou “isso acontece há décadas em toda a região (Amazônica), não é só no Marajó”.

Sendo paraense, Aymée cantou sobre o que ela conhecia. Veja um dos vídeos que circulou insistentemente nas redes sociais associando a operação policial à prática de exploração sexual infantil:

Mobilização de famosos

Nesta sexta-feira (23), o apresentador Luciano Huck colocou mais lenha na fogueira, publicando em seu perfil um documentário que fez em 2019, “Um crime entre nós”, sobre essa prática. Sua base de pesquisa foi Manaus, capital do Amazonas.

Huck diz que “redes criminosas de exploração sexual de crianças e adolescentes e de tráfico internacional de pessoas, operam no Marajó, na Amazônia e em todas as regiões do país”.

O apresentador entrevista pessoas nos mercados e bares da orla de Manaus, servidores públicos e jovens que se disseram abusadas na infância. É um vídeo bastante longo que pode ser conferido em:

https://www.instagram.com/p/C3qgkmgJak-/

Também comentaram o caso nas redes sociais a influenciadora digital Virginia Fonseca e os ex-participantes do reality show Big Brother Brasil, Juliette, Rafa Kalimann e Eliezer. Eles querem mobilizar a sociedade contra o crime.

Confira no YouTube a música de Aymeê Rocha:


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *