fbpx

Bolsonaro radicaliza e pede fim da quarentena

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) decidiu radicalizar e criticou o fechamento de escolas, do comércio, a suspensão de transportes e outras medidas adotadas por prefeitos e governadores para tentar conter o avanço do novo coronavírus. Em cadeia de rádio e televisão, Bolsonaro voltou a afirmar que a pandemia é apenas uma gripezinha e sugeriu para que as pessoas voltem às atividades normais. O pronunciamento de Bolsonaro causou revolta no meio médico, judiciário e político.

🔴 Wilson Lima e Artur Neto mantêm medidas restritivas mesmo após a fala de Bolsonaro

🔴 Pronunciamento do presidente foi considerado irresponsável e criminoso por especialistas médicos e congressistas

🔴 Parintins vai decretar toque de recolher após a primeira morte por coronavírus no Amazonas

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) decidiu radicalizar e criticou o fechamento de escolas, do comércio, a suspensão de transportes e outras medidas adotadas por prefeitos e governadores para tentar conter o avanço do novo coronavírus. Em cadeia de rádio e televisão, Bolsonaro voltou a afirmar que a pandemia é apenas uma gripezinha e sugeriu para que as pessoas voltem às atividades normais. O pronunciamento de Bolsonaro causou revolta no meio médico, judiciário e político.

  • ✅ Revolta de especialistas

Bolsonaro foi taxado de “irresponsável e criminoso” por especialistas médicos, congressistas e governadores. O governador Wilson Lima (PSC) e o prefeito Artur Neto (PSDB) afirmaram que não voltarão atrás em nenhuma das suas decisões restritivas já decretadas. Assim, o comércio e as escolas continuarão fechados em Manaus e no interior, o transporte fluvial e os serviços não essenciais suspensos.

  • ✅ Primeira morte no Amazonas

O Amazonas registrou na noite de terça-feira (24/3) a primeira morte por coronavírus. Trata-se do empresário parintinense Geraldo Sávio, de 49 anos que era hipertenso. Ele estava internado desde sábado (22/3) no hospital Delphina Aziz, em Manaus, não resistiu às complicações da doença e morreu na noite de terça-feira (24/3).

  • ✅ Toque de recolher em Parintins

O Ministério Público do Estado recomendou e o prefeito de Parintins, Bi Garcia (PSDB) deve decretar nas próximas horas toque de recolher das 20h às 6 da manhã após a confirmação da morte do empresário parintinense Geraldo Sávio por coronavírus. O MPE também recomendou que o prefeito aplique multa de 300 reais, dobrando o valor na reincidência, para quem descumprir o toque de recolher.

  • ✅ Pessoas na rua

A posição do Ministério Público foi motivada, porque muitas pessoas de Parintins teimam em permanecer nas ruas, apesar das medidas restritivas.

  • ✅ Festival deve ser adiado

Outra decisão que deve ser tomada nos próximos dias é o adiamento do Festival de Parintins, que este ano está marcado para ser realizado de 26 a 28 de junho. O adiamento é dado como certo pela equipe do prefeito Bi Garcia, falta apenas à concordância de Caprichoso e Garantido. O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, anunciou o adiamento para outubro da 37ª edição da festa conhecida como “Maior São João do Mundo”, que seria realizado de 7 de junho a 7 de julho.

  • ✅ Corte de energia e água proibido

A juiz plantonista Alessandra Gondim de Matos, do Tribunal de Justiça do Amazonas, decidiu proibir as empresas Amazonas Energia e Águas de Manaus de cortarem o fornecimento de energia e água aos consumidores nesse período de pandemia de coronavírus. As empresas pagarão multa de R$ 10 mil para o corte de cada consumidor a partir de agora.

  • ✅ Fábricas suspendem produção

A Moto Honda e a Samsung, as duas maiores empresas do Polo Industrial de Manaus, decidiram suspender a produção para conter o avanço do coronavírus. A medida também foi adotada pelas empresas do polo relojoeiro. Mais de 10 mil trabalhadores vão ficar em casa pelo menos uma semana.

  • ✅ Coronel Menezes apoia

O superintendente da Suframa, Alfredo Menezes, foi uma das poucas autoridades do Estado a apoiar o pronunciamento de Bolsonaro em que defendeu a volta dos brasileiros às escolas, a reabertura do comércio e o fim das outras medidas restritivas. Nas suas redes sociais, Menezes compartilhou o vídeo do pronunciamento e escreveu: “Aproveito para registrar o meu apoio incondicional às suas palavras. O Brasil não pode parar. Selva!”

Coronel Alfredo Menezes anuncia quatro superintendentes adjuntos, sendo três deles militares
  • ✅ Braga se posiciona

O senador Eduardo Braga se posicionou sobre o pronunciamento do presidente Bolsonaro. No Twitter, Braga escreveu: “Assino embaixo da manifestação do presidente do Senado, Sen. @davialcolumbre em respeito às declarações do PR Jair Bolsonaro. Parabenizo pela firmeza é necessária serenidade, é disto que o Brasil precisa”.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.