Bolsonaro está inelegível pelos próximos oito anos

Julgamento no Tribunal Superior Eleitoral terminou nesta sexta

Último voto foi do ministro Alexandre de Moraes

Valéria Costa
Correspondente

Brasília (ÚNICO) – Em um julgamento que durou mais de uma semana, mas com um resultado previsível, o Tribunal Superior Eleitoral condenou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) à perda dos direitos políticos por 8 anos. O julgamento terminou em 5 a 2 pela inelegibilidade do ex-presidente.

Três votos

Na quinta-feira (29), a sessão foi suspensa com um placar de 3 a 1 e, hoje, faltavam votar apenas os ministros Cármen Lúcia, Nunes Marques e Alexandre de Moraes. O primeiro voto da sessão foi de Cármen Lúcia, que acompanhou o relator, o ministro Benedito Gonçalves, pela inelegibilidade.
Depois, Nunes Marques, ministro que foi indicado ao STF por Bolsonaro quando estava na presidência da República, divergiu do relator e votou contrário à perda dos direitos políticos.


O último voto foi do presidente do TSE, ministro Alexandre de Moraes, fechando o placar de 5 a 2 pela inelegibilidade. Coube a Moraes, inclusive, proclamar o resultado do julgamento por volta das 14h20.

Abuso de poder político

A ação eleitoral impetrada pelo PDT acusava Bolsonaro, então presidente da República e candidato à reeleição, de abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação ao reunir embaixadores, às vésperas das eleições do ano passado, para disseminar e massificar fake news contra a eficácia da urna eletrônica. A defesa do ex-presidente estuda entrar com recurso contra a inelegibilidade no Supremo Tribunal Federal (STF).


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *