Artistas plásticos amazonenses expõem o sagrado no Rio de Janeiro

O Centro Cultural Inclusartiz promove a exposição na capital carioca a partir deste sábado

Curadoria é do crítico Paulo Herkenhoff

O Instituto Cultural Inclusartiz abre neste sábado (24), no Rio de Janeiro, a exposição “O Sagrado na Amazônia”, uma mostra coletiva de 30 artistas amazônicos. Com a curadoria de Paulo Herkenhoff — pesquisador que há mais de 40 anos se dedica ao fomento da produção artística no Norte do país e ao debate crítico acerca do conceito histórico de “visualidade amazônica” —, a mostra irá ocupar o térreo do Centro Cultural Inclusartiz (Rua Sacadura Cabral, 333, Gamboa), até 17 de setembro.

Amazônidas

O Sagrado na Amazônia terá a presença de artistas originários da região amazônica brasileira, como os amazonenses Denilson Baniwa, Dhiani Pa’saro (Povo Wanano) e Rita Huni Kuin, do Acre, e também de povos da Amazônia Internacional, como a peruana Lastenia Canayo. São 75 trabalhos produzidos a partir de diversos suportes, entre pinturas, fotografias, vídeos, objetos e esculturas; além de documentos históricos.

Os artistas

Participam da exposição, os artistas Andrea Fiamenghi, Arieh Wagner Lins, Arthur Omar, Berna Reale, Chico da Silva, Claudia Andujar, Coletivo de arte MAHKU, Daiara Tukano, Denilson Baniwa, Dhiani Pa’saro, Edivânia Câmara, Elza Lima, Emanuel Nassar, Fernando Lindote, Gui Christ, Gustavo Caboco, Guy Veloso, Jair Gabriel, Lastenia Canayo, Luiz Braga, Paula Giordano, Pierre Verger, Rita Huni Kuin, Sheronawe Hakihiiwe, Teresa Bandeira, Thiago Martins de Melo, Walda Marques, Walmor Corrêa, Xica e Yaka Hunikuin.

Serviço

O Sagrado na Amazônia
Abertura: sábado, 24 de junho, das 11h às 18h
Visitação: terça-feira a domingo, das 11h às 18h, até 17 de setembro
Centro Cultural Inclusartiz — Rua Sacadura Cabral, 333, Gamboa.
Entrada gratuita


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *