Aprovados os nomes da diretoria permanente do Centro de Bionegócios da Amazônia

Anúncio foi feito pelo presidente da fundação, Rodrigo Rollemberg

CBA busca ser referência mundial em bionegócios

Conselheiros da Fundação Universitas de Estudos Amazônicos (FUEA) aprovaram os nomes da diretoria permanente do Centro de Bionegócios da Amazônia.


Aprovaram também o Manual de Seleção de Recursos Humanos, Plano de Cargos e Salários, Política de Gestão de Propriedade Intelectual, Plano de Negócios, para os produtos pesquisados no CBA, do Planejamento Estratégico e o de modernização dos laboratórios e estrutura do CBA, os
Todas as metas administrativas referentes ao contrato de gestão do Centro de Bionegócios da Amazônia (CBA) para os próximos quatro anos foram aprovadas.

Presidente confirma oficialmente

O anúncio foi feito pelo presidente do Conselho de Administração do CBA, secretário de Economia Verde, Descarbonização e Bioindústria do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços (Mdic), Rodrigo Rollemberg, durante a 7ª reunião ordinária do colegiado, realizada na quinta-feira, (14) ,em Brasília.

Nova diretoria

Márcio Miranda assume a diretoria-geral. Márcio é engenheiro agrônomo, mestre em genética e melhoramento de plantas e doutor em genética bioquímica, com pós-doutorado em temas ligados ao acesso de uso de recursos genéticos vegetais na Universidade de Harvarr. Ele foi presidente do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) e Chefe-Geral da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia.


Na diretoria de Bionegócios, assume a professora doutora Andrea Lanza, especialista em Biodiversidade e Biotecnologia na Amazônia. Atualmente, Lanza é professora Adjunta da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).


O advogado Carlos Henrique de Souza e o pesquisador Caio Perecin que formavam a diretoria provisória do CBA, tiveram os nomes confirmados na diretoria administrativa-financeira e de Operações, respectivamente.


Elias Moraes de Araújo que esteve na direção geral do CBA nos últimos seis meses, se manterá como diretor-geral da FUEA, a Organização Social responsável pela gestão do Centro pelos próximos quatro anos.

Busca pela referência em Bionegócios

Ao anunciar a mudança, Rollemberg reconheceu o trabalho executado por Elias em 2023, sobretudo na articulação e networking promovido em prol do CBA e destacou a importância dos gestores das duas instituições em promover uma ampla sinergia visando firmar o CBA como centro de referência mundial em Bionegócios.


Elias agradeceu a colaboração de todos os funcionários do CBA, da FUEA e do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) que contribuíram nos últimos seis meses com as ações necessárias para a elaboração e aprovação dos planos de trabalho requeridos pelo Contrato de Gestão e reafirmou o compromisso da Fundação em trabalhar pela consolidação do CBA.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *