Amom Mandel denuncia irregularidades em contrato de fornecimento de cestas básicas à Semasc

Alimentos com datas vencidas, preços mais altos e falta de itens são alguns dos erros apontados pelo parlamentar

Parlamentar montou dossiê de 53 páginas com documentos e fotos para respaldar a acusação

O vereador Amom Mandel (sem partido) reuniu a imprensa nesta quarta-feira (11) na Câmara Municipal de Manaus para apresentar um dossiê elaborado por ele e sua equipe, sobre a distribuição de produtos alimentícios vencidos à população carente. Amom reuniu em 53 páginas, fotos, documentos, relatos e testemunhos sobre o que chamou de “esquema de corrupção” dentro da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania de Manaus (Semasc) e na Comissão Municipal de Licitação (CML), órgão vinculado à Casa Civil de Manaus.
A denúncia feita pelo vereador é de que funcionários do gabinete da secretária da pasta, Jane Mara Moraes, estariam trocando itens das cestas básicas por produtos de menor valor, que alguns produtos estavam com o prazo de validade vencido e, ainda, que produtos foram substituídos por outros que não constavam no contrato.
As cestas foram adquiridas por R$ 2,1 milhões, junto à empresa T R do Nascimento Fornecimento de Alimentos Eireli, cujo nome fantasia é Nutrilog, para distribuição de 15 mil unidades para famílias em situação de vulnerabilidade em Manaus. O contrato foi homologado no mês de março.
De acordo com a denúncia de Amom, o critério estabelecido no edital para fornecimento das cestas era o de menor preço, porém a Prefeitura de Manaus fechou contrato com a empresa de preço maior. Enquanto as concorrentes cobraram R$ 88 e R$ 90 por cesta, a Nutrilog cobrou R$ 140. “Eu espero que o prefeito de Manaus faça o que é correto, que afaste a secretária, o subsecretário que ordenou as despesas e todos os envolvidos no processo, vale dizer aqui que todos os fiscais dos contratos são funcionários do gabinete da secretária”, afirmou o vereador durante entrevista coletiva.
Segundo o parlamentar, depois de pagar mais caro, a prefeitura liberou para distribuição cestas básicas com produtos vencidos e com menos itens do que os licitados, conforme ele constatou fazendo diligências e fiscalizações nos CRAS e no Centro de Distribuição da Semasc.
A Prefeitura de Manaus informou que irá divulgar resposta à denúncia, mas até o fechamento desta edição o texto ainda não havia sido enviado.
Veja o documento do vereador Amom Mandel abaixo:


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *