Amazonino apresenta propostas para enfrentar crise de desemprego em função da Covid-19

Na Prefeitura, caso seja eleito, Amazonino informa que as medidas sociais e econômicas para recuperação das famílias serão a sua primeira providência

O candidato a prefeito Amazonino Mendes, da Coligação Juntos Podemos Mais, Amazonino Mendes, comentou o agravamento da crise social e econômica em Manaus, por conta da pandemia de Covid-19 e disse que esta é uma das suas principais preocupações. Ele falou sobre os números da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD Covid-19), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), indicando que o Amazonas é o terceiro estado com maior taxa de desempregados no país.
Segundo ele, a arrecadação do estado cresceu bastante nos últimos dois anos, porém, o governo não deu as respostas que a população esperava. “É preciso uma ação enérgica e emergencial. Os números comprovam a gravidade da situação”, afirmou.
Na parte social, Amazonino anuncia a volta do Cartão Direito à Vida, que foi implantado por ele em 1996, muito antes do Bolsa Família do governo federal. Na época, 104 mil famílias recebiam o benefício. Na última administração na Prefeitura, Amazonino criou também o Bolsa Família Municipal, beneficiando 67 mil famílias.

Construção de casas

Amazonino Mendes vai ampliar, nesta gestão, caso seja eleito, o Programa de Habitação para as pessoas de baixa renda e o número de beneficiários com a tarifa social de água e energia. Vai realizar um novo cadastro, para ampliação do Programa Leite do Meu Filho.
Para geração de emprego e renda, além dos esforços em defesa do modelo Zona Franca, ele afirma que irá estimular o uso do potencial da biodiversidade, de forma a atrair empresas e investidores para Manaus.
Irá, também, reativar o Banco da Gente, com linhas de crédito para os empreendedores. O Banco da Gente foi criado por ele na última administração na Prefeitura, com liberação de R$ 15 milhões, à época.
O candidato pretende, ainda, revitalizar as feiras e mercados, transformando-os em polos de atrativo turístico, e criar projetos com foco no primeiro emprego, visando a inserção dos jovens no mercado de trabalho.
No Plano de Governo também está previsto o incentivo à realização de grandes eventos e feiras internacionais em Manaus, com a criação de calendário anual, abrindo a cidade para novas oportunidades.
Outro ponto previsto é a geração de trabalho e renda para os povos indígenas, em especial no artesanato, pesca e piscicultura, respeitando o conhecimento tradicional.

Números do Desemprego

De acordo com a PNAD Covid-19, com 18,2%, o Amazonas é a terceira unidade da federação com a maior taxa de desocupação, em setembro deste ano. Em setembro havia 301 mil (18,2%) pessoas desocupadas no estado. A população fora da força de trabalho, ou seja, que não estava procurando emprego, ficou estimada em 1,25 milhão de pessoas.
As maiores taxas de desocupação foram as da Bahia (19,6%), Maranhão (19,2%) e Amazonas (18,2%). As menores são as de Santa Catarina (7,8%), Rondônia (9,1%) e Mato Grosso do Sul (9,5%).
A taxa do Amazonas cresceu 0,3 pontos percentuais em relação a agosto, e 6,2 pontos percentuais em relação a maio deste ano.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *