Amazonas teve aumento de quase 60% de casos de dengue em um ano

Cidades que nunca tiveram surto, apresentaram pela primeira vez; seca é um dos motivos

Estado não tem registro da dengue tipo 3, descarta especialista da FVS

Solange Elias
Da redação do ÚNICO

Entre janeiro e outubro de 2023 a Fundação em Vigilância Sanitária do Amazonas (FVS) registrou 14.427 casos de dengue em todo o estado um aumento muito grande em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados quase 6 mil casos, nos 62 municípios. “É um aumento significativo, de mais de 60%”, apontou o chefe do Departamento de Vigilância Ambiental (DVA) da FVS-RCP, Elder Figueira, ao ÚNICO.

Surto pela primeira vez

Segundo Figueira, o aumento tem explicação no aumento de casos no interior do Estado – “pela primeira vez municípios que nunca tiveram surto apresentaram registros” – e também na seca histórica que atingiu o Estado neste ano, reduzindo os níveis de água potável nas residências e obrigando os moradores a estocarem o mineral onde fosse possível. “Em função da seca, a população estoca água em toneis, baldes e, dessa forma a recomendação é sempre a de tapar os vasilhames e monitorar o tempo todo a existência de larvas do mosquito”, orientou Elder Figueira.

Sobre a dengue tipo 3

Nesta semana, a Fundação Oswaldo Cruz emitiu alerta do ressurgimento da Dengue tipo 3, no Estado de São Paulo. Segundo o especialista da FVS, o Amazonas não tem notificações sobre essa variante. “Mesmo assim, o alerta fica mantido porque, como a população nunca teve contato com esse tipo de vírus, toda ela está suscetível. E isso pode aumentar o número de notificações”, explicou.

Alerta mesmo no período da seca

Elder Ferreira apontou que a FVS mantém os gestores municipais em alerta para monitor os depósitos de água nos municípios. “isso deve permanecer durante todo o ano, apesar de que durante a estiagem o número de notificações diminuiu muito. Mas os ovos das fêmeas dos mosquitos são muito resistentes à seca e ficam viáveis durante todo esse período. Por isso a necessidade de eliminar possíveis criadouros”, encerrou.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *