Amazonas pode ter 610 casos de câncer de útero em 2024

Estimativa é do Instituto Nacional do Câncer

Mulheres podem procurar exame preventivo e vacina para evitar

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que o Brasil deve ter 17.010 novos casos de câncer do colo de útero em 2024. Para o Amazonas, a estimativa é de 610 casos.

A doença, também chamada de câncer cervical, é o terceiro tipo mais comum de câncer em mulheres, excluindo os tumores de pele não melanoma.

A boa notícia é que pode ser prevenido, inclusive por vacina, além de ter um tratamento mais eficaz com o diagnóstico precoce.

O que é o câncer

O infectologista e consultor médico do Sabin Diagnóstico e Saúde, Marcelo Cordeiro, o câncer de colo de útero é causado, em especial, pelos chamados ‘tipos oncogênicos’ de HPV, que são aqueles com maior risco de causar câncer.

“Alguns tipos são considerados de alto risco, pois estão associados ao desenvolvimento de cânceres, como o câncer de colo do útero, ânus, pênis, vagina, vulva etc”, diz ele.

“A transmissão ocorre, principalmente, por meio de contato sexual, seja vaginal, anal ou oral. Também é possível, embora menos comum, que o vírus seja transmitido por meio de contato pele a pele com uma área infectada”.

Imunização

De acordo com Marcelo Cordeiro, esses quatro tipos de HPV podem ser prevenidos por meio da vacina quadrivalente, disponível na rede pública de saúde para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos.

Já para uma cobertura mais completa contra esses e outros nove tipos de HPV, a opção é procurar a nonavalente, disponível na rede privada de saúde, onde a faixa etária de alcance também é maior (9 a 45 anos para mulheres e 9 a 26 anos para homens).

Preservativos

Além do imunizante, é possível prevenir a infecção por HPV com o uso de preservativo durante as relações sexuais, o que pode reduzir o risco de transmissão do vírus.

Exames de rotina
Além da vacinação e do uso de preservativos, exames de rotina são essenciais na prevenção do câncer cervical. Um deles é a colposcopia, que possibilita ao médico, durante consulta, observar a vulva, a vagina e o colo do útero, permitindo identificar e tratar lesões antes que evoluam para câncer.

Outro exame importante é o papanicolau, que coleta células do colo uterino para identificar alterações que podem indicar a doença. Ele pode ser feito de duas formas: convencional, que é o preventivo em lâmina, ou em meio líquido. Este último tem a vantagem de melhorar a detecção de alterações pré-cancerosas.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *