Álcool 70% está com os dias contados

Governo volta a proibir a venda do produto

Ele foi liberado temporariamente na epidemia de Covid

Fábio Rodrigues
Especial para o ÚNICO

Brasília (ÚNICO) – Os estabelecimentos comerciais que vendem álcool etílico na concentração de 70%, na forma líquida, têm até o dia 30 de abril para esgotar os estoques ou descartar.

Depois dessa data, não será mais permitida a venda do álcool na forma líquida, mas na forma de gel ainda poderá ser comercializado.

Entenda o motivo da proibição

A venda do álcool 70, como é mais conhecido, é regulada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e desde o ano de 2002, o comércio está proibido, porque na forma líquida o produto oferece riscos de acidentes por queimaduras e ingestão.

Na época, o Ministério da Saúde apontou que todo ano acontecia pelo menos um milhão de casos envolvendo acidentes com queimaduras, sendo 300 mil deles com crianças menores de 12 anos e, 45 mil destes, devido ao álcool. Assim, a venda ficou restrita a hospitais, laboratórios e empresas de limpeza específicas.

Mas, durante a epidemia de Covid-19, no início de 2020, a Anvisa liberou a venda do álcool 70% em mercados e farmácias, para ajudar no combate ao coronavírus. A resolução do governo apontava que era uma medida temporária e esse prazo termina no dia 30 de abril.

Sem álcool, como higienizar as mãos

Com o fim da venda do álcool, a higienização das mãos e de superfícies em geral causaram dúvidas entre os brasileiros.
Mas todos os médicos recomendam a mesma coisa: a melhor alternativa para higienizar as mãos continua sendo a água e sabão.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *