fbpx
A Educação Financeira e os Jovens

Coluna:

Por: Michele Lins Aracaty e Silva

Economista, Doutora em Desenvolvimento Regional, Docente do Departamento de Economia da UFAM, ex-vice-presidente do CORECON-AM.

A Educação Financeira e os Jovens

educacao-financeira-1

No Brasil, a relação dos jovens com as finanças é considerada crítica e preocupante. Segundo dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), 46% dos brasileiros com idade entre 25 e 29 anos têm dívidas em atraso e estão inadimplentes, entre os jovens de 18 e 24 anos, a proporção é de 19%. Juntos, esses grupos representam 12,5 milhões de jovens brasileiros que começam a vida adulta endividados (dados de 2021).
Em relação ao controle de gastos ou educação financeira, apenas 25% dos jovens afirmam que procuram fazer o seu planejamento financeiro em comparação aos 75% dos jovens da chamada Geração Z, que tem entre 18 a 25 anos, que afirmam não realizarem o controle de seus gastos.
Se questionados acerca das prováveis causas para não realizarem o planejamento financeiro, temos: 19% justificam não saber realizar o controle, 18% afirmam ter preguiça para fazer, 18% apontam como causa a falta de hábito ou indisciplina e 16% justificam a falta de controle financeiro por não terem rendimentos.
O endividamento no início da vida adulta acarreta inúmeros prejuízos. E levando-se em consideração o perfil deste jovem: tem pouca responsabilidade financeira e residem na casa dos pais ou familiares o seu descontrole financeiro pode provocar um comprometimento também na renda familiar.
De acordo com uma pesquisa realizada com os mais influentes coachings de educação financeira do país, entre as principais causas para o elevado número de inadimplência ou descontrole financeiro entre os jovens brasileiros está: “a falta de educação financeira na infância”.
Para um jovem que não teve acesso à educação financeira nos primeiros anos as novas responsabilidades oriundas da primeira experiência profissional, como por exemplo, o recebimento do primeiro salário e o primeiro cartão de crédito, torna-o extremamente vulnerável a cair no mau endividamento.
Dois outros pontos que merecem destaque são: a necessidade e a importância de se questionar o custo do crédito através das compras parceladas e ficar atento às enxurradas de propagandas que chegam através da mídia e das redes sociais.
Nessa idade, também existe a necessidade de inclusão, que faz com que eles percam o controle. Entretanto, na maioria das vezes, agir de forma impulsiva não parte da sua vontade consciente, é a forma que seu cérebro funciona. E vamos combinar que estes jovens vivem num ecossistema de descobertas e de estímulos.
Outros pontos que merecem destaques são: o imediatismo para adquirir um produto ou serviço, a dependência do crédito parcelado bem como a necessidade de consumir produtos exclusivos. Tudo isso contribui para o descontrole financeiro e para o endividamento destes jovens consumidores.
Como complemento a esta reflexão, deixo algumas dicas: se organize e faça uma lista de gastos, organize por categorias: alimentação, transporte, vestuário, lazer, estudos, outros; defina metas; corte gastos e despesas desnecessárias; estabeleça objetivos; invista no seu crescimento profissional, em cursos de capacitação e de formação; reveja hábitos de consumo e por fim, poupe e invista com o propósito de ganhos futuros.
Por fim, além da necessidade da educação financeira na primeira infância é imprescindível a parceria entre a família e a escola para que o hábito possa fazer parte da vida destes jovens consumidores. E não esqueça: o consumo não planejado sempre acarreta consequências futuras.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem necessariamente a opinião do ÚNICO.

Qual sua Opinião?

Confira Também

O desaparecimento de três jovens de um bairro de Manaus

Eles sumiram no ano de 2016 quando voltavam de uma festa Foram abordados por uma viatura da polícia e nunca mais foram vistos Três jovens que voltavam de uma festa, foram abordados por uma viatura da polícia e desapareceram sem deixar vestígios. Essa é a história que Maíra Menezes conta no vídeo desta semana, como uma mais conteúdo da série Crimes e Visagens.

Leia Mais

Candidaturas femininas no Amazonas superam em 1% o total nacional

Em todo o país, as mulheres representam 33% das candidaturas, contra 67% dos homens Conheça quem são as mulheres nas disputas majoritárias neste ano Ricardo XavierPara o Portal ÚNICO A um dia do encerramento do prazo para o registro dos candidatos para as eleições deste ano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já registra que 67% das candidaturas de todo o país são compostas pelo gênero masculino e 33%, pelo feminino. No Amazonas, a diferença é de apenas um ponto percentual, em relação à nacional, com 66% de homens e 34% de mulheres candidatos. Esses números ainda não são definitivos, porque

Leia Mais

Prefeito de Rio Preto da Eva desapropria terreno de R$ 2,8 milhões a “preço de banana”

Proprietários denunciam subvalorização, humilhação e “expulsão” de sua casa Prefeito foi pessoalmente com a polícia cumprir liminar de despejo da família (vídeos) Solange EliasPara o Portal ÚNICO A proprietária de um terreno localizado na entrada de Rio Preto da Eva (a 81 km de Manaus), Elany Celeste Costa Mouriere, pessoa doente e com uma prótese no crânio, foi despejada de seu imóvel, junto com seus familiares, na última sexta-feira (12), pelo prefeito do município, Anderson de Sousa (PP), que foi pessoalmente cumprir ordem emitida pelo juiz da comarca, Carlos Henrique Jardim da Silva, em forma de liminar. A dor de

Leia Mais